X Pesquisar:
capa-de-the-handmaiden https://mintmovi3.deviantart.com

The Handmaiden

CRÍTICA
capa-de-the-handmaiden https://mintmovi3.deviantart.com

Nota: 9,4

Chan-wook Park volta a brindar-nos com arte. O seu último filme tinha sido feito fora de portas e agora voltou a trabalhar numa produção caseira. É neste ambiente que sentimos que o seu estilo atinge o auge.

 

Obviamente que as expectativas para este filme eram muito elevadas, simplesmente por ser deste realizador, tendo em conta que de antemão não sabia nada sobre a história. Apenas vi a capa do filme, à qual não consegui mesmo escapar. Neste tipo de filmes que sabemos que vamos ser embrulhados pelas viragens da narrativa, não gosto de ter ideias pré-concebidas que podem complicar ainda mais as interpretações e, pior ainda, as previsões.

 

The Handmaiden, apresenta-nos a história de uma empregada doméstica interna que vai cuidar de uma senhora, com uma história de vida especial, que vive com o seu tio. Este realizador precisa apenas de uma linha simples como esta para fazer a sua magia.

 

Será que conseguimos conhecer uma pessoa por mais íntima ou duradoura que seja uma relação? O ambiente que nos rodeia é fácil de descortinar ou existem pormenores que nunca vamos reparar mesmo que olhemos com muita atenção? Que complexos esquemas pode montar a mente humana? Ao longo do filme vamos recebendo ferramentas para tentar esclarecer estas questões.

 

O filme está dividido em três partes e, mais uma vez, quase que podíamos ter aqui três filmes. No entanto, à medida que avançamos para a parte seguinte, enriquece-se toda a história apresentada até então, trazendo mais pormenores e revelações que nos deixam boquiabertos.

Vemos nas três partes as mesmas histórias a serem contadas de perspectivas diferentes, fazendo com que fiquemos com a ideia global de cada cena. Normalmente não gosto quando se dão explicações a mais, pois faz com que as cenas se tornem básicas, não nos deixando espaço para interpretar e/ou especular. Neste filme, as explicações que vão sendo dadas acabam por enaltecer mais toda a obra.

 

Antes de avançar para o escrutinar de cada uma das partes, quero realçar o pormenor de certas falas serem transportadas de personagem para personagem e aplicadas exactamente com a mesma forma mas em momentos diferentes. Aqui vemos como os mesmos dizeres podem ter aplicações e interpretações díspares. Acabam por parafrasear sem referir a fonte, utilizando o conteúdo de terceiros para proveito próprio.

 

PARTE 1

O plano inicial é brutal! Era tanta a expectativa que bastou este plano para que eu ficasse em êxtase, materializando o facto de estar a ver um filme de Chan-wook Park. Este plano é simples, limpo e extenso.

Esta parte pode ser intitulada “Tamako + senhora + Conde + tio”.

São apresentadas as personagens (no que podemos chamar o presente) e o seu passado ou os justificativos/complementos da história de cada um, os quais vêm através de flashbacks.

Ficamos a conhecer Tamako; senhora a quem Tamako vai prestar os serviços pessoais; o Conde e todas as suas intenções; e o tio da senhora, juntamente com os seus gostos e hábitos pouco habituais, passo a redundância.

Estas personagens levam-nos a mergulhar no mundo da senhora e do tio, onde tudo se passa dentro dos limites da sua quinta. Percebemos-nos a pouco e pouco da história do passado da senhora, envolvendo-nos cada vez mais, tal como acontece com Tamako.

Chegamos a um final da primeira parte onde nos espera o inesperado, tal como era de prever.

 

PARTE 2

Podemos dar o seguinte título a esta parte: “Tia + Hideko + tio + livros”.

É-nos apresentada a história de Hideko e somos levados a penetrar mais profundamente na história que envolve as personagens deste filme.

Uma das personagens que ficamos a conhecer melhor é o tio. Através das leituras artísticas (chamemos-lhes assim) entramos no mundo da sua mente perversa. Mais uma vez ficamos a par da promiscuidade oriental que tanto fazem questão de fincar na sua arte no geral e no cinema especificamente. Aqui assisti a um conceito que nunca tinha visto e que achei muito interessante. Se o aplicássemos noutro ambiente, apesar de perder a força, perderia também a perversidade, podendo criar momentos de grande criatividade. Estas leituras artísticas têm um grande potencial.

A par de se explorar a relação de Hideko com o seu tio, continuamos a avançar na linha conectora que nos levará ao grand finale.

 

PARTE 3

Nas duas primeiras partes já nos deram a conhecer muito bem todas as personagens e agora pode-se chegar ao golpe final, a tão esperada mestria de Chan-wook Park.

Por mais que nos dê a conhecer as personagens e as suas relações, por mais que estejamos atentos a todos os pormenores do ambiente dos seus filmes, mesmo que consigamos perceber uma ou outra dica, este realizador mostra-nos que a mente humana é extremamente complexa e que ainda há muito que explorar.
Se recomendo? Obviamente que sim!

The Handmaiden
Ficha Técnica
Título: The Handmaiden capa-de-the-handmaiden
Director: Chan-Wook Park
Elenco: Género: Crime, Drama, Mistério
País: coreia do sul
Ano: 2016