X Pesquisar:
capa-de-amy https://www.pinterest.pt/

Amy

CRÍTICA
capa-de-amy https://www.pinterest.pt/

Nota: 6,8

Vi este documentário pelo interesse que tenho nesta cantora. Apesar de o seu estilo não se enquadrar no tipo de música que ouço habitualmente, ela faz boa música, que até me agrada.

Seguindo a linha habitual de um documentário biográfico, acompanhamos a protagonista desde a sua infância. E, neste caso específico, até ao seu “final”.

Percebemos que sempre teve dentro de si a rebeldia que tantas vezes gerou polémicas ao longo da sua carreira. Conseguimos também perceber que era uma pessoa genuína e sincera, fazendo as coisas à sua maneira, dizendo o que lhe ia na alma. A escrita era a forma que utilizava para revelar os seus sentimentos e, como gostava de cantar, compôs os seus originais, pejados de sinceridade. Eu nunca tinha dado tanta atenção às letras desta cantora mas como as músicas estão legendadas e temos o complemento das explicações, fiquei a gostar ainda mais das suas músicas, captando o todo.

Os problemas familiares de Amy desde cedo moldaram a sua personalidade, tornando-a numa pessoa introspectiva e depressiva. Era nesta base de sentimentos que fazia a sua própria música.

O que queria era ouvir bom jazz, boa música, e isso motivava-a a criar conteúdo musical de qualidade, visto que na sua opinião já não se faz música ao nível que ela pretendia, dentro do estilo que gostava.

Mais tarde, iniciou aquilo que foi um dos pontos principais para a sua queda, a relação com o Blake. A ilusão e sentimento de invencibilidade cedo revelaram uma relação decadente. Entrou numa espiral de festas e drogas que rapidamente se centrou apenas nas drogas e na obsessão por Blake.

Por não ter uma relação adulta, mais adequada à sua idade, vemos que não cresce e mantém sempre a criança que está dentro de si, como se finalmente pudesse viver a infância que desejava. Assistimos à decadência e à degradação física e psicológica de Amy, sem que ninguém a conseguisse salvar. Poderia porventura tentar focar-se na música para escapar a este destino mas até o próprio ramo parece que está organizado de forma a piorar a situação. As produtoras e managers nao paravam de lhe fazer pressão, chegando ao cúmulo de a tirar da reabilitação para levá-la a cumprir a agenda. Quando temos quantias avultadas de dinheiro à mistura, não existem sentimentos que se consigam sobrepor à vontade moldada pelo lucro.

Como era de esperar, Amy acabou por ceder às pressões de todos os factores negativos de que se fazia rodear. Infelizmente, perdeu-se uma artista que certamente teria muito mais para dar ao mundo da música.

Este documentário foi feito com base em fotografias, gravações de voz e vídeos caseiros, tudo isto complementado com entrevistas e testemunhos. Estas componentes pessoais acabam por nos colocar mais perto de Amy Winehouse.

É um documentário bem feito que recomendo a quem tenha curiosidade acerca desta artista.

Amy
Ficha Técnica